ANEInfra 7 ANOS

Neste 06 de novembro comemoramos o sétimo aniversário da assembleia geral que fundou a ANEInfra – associação representativa dos Analistas e Especialistas em Infraestrutura, categoria criada e disciplinada através da lei n.º 11.539/2007, primeira a ser criada por Medida Provisória (MP 389/2007), no escopo da recuperação da capacidade do Estado em promover as condições necessárias a retomar os investimentos na infraestrutura de base nacional, de titularidade do Estado. Aliás, investimentos em infraestrutura parece ser a única interseção nos anseios dos diversos atores da Economia, naquele e no momento presente.
A percepção do Governo de então de que o Estado carecia de um corpo técnico dedicado a essa demanda, que se somaria e completaria as estruturas já existentes, e apesar do açodamento na implantação desse corpo técnico ditado pelos então chamados “gargalos do crescimento econômico”, colocou na Administração Pública Federal (APF) um contingente de técnicos que ingressaram imbuídos da missão de contribuir de forma ativa e orgulhosa nesse renascer de uma nação grande e promissora.
O açodamento, porém, compreensível à época, acabou por criar um rol de problemas à atuação desse corpo técnico, cuja falta de regulamentações, desconhecida pelos ingressantes, representou uma verdadeira fraude dado que as condições para percepção da remuneração proposta e o desenvolvimento na carreira simplesmente não existiam. Assim, a decepção uniu a categoria e fundou em tempo recorde a sua entidade representativa. Sim, organizados pela decepção com a fragilidade da gestão do estado.
Regulamentação da carreira apenas 40 dias depois da fundação da entidade representativa, Mesa de Negociação no ano seguinte, recuperação parcial da atratividade da carreira ao final daquele ano, e problemas de gestão que se sucediam e se somavam.
A carreira de infraestrutura adquiriu novo recorde como a de maior rejeição e evasão dentre as de nível superior da APF. Talvez a única que nunca tenha conseguido preencher a quantidade de vagas oferecidas nos três concursos públicos. Mas recordes e adversidades alimentam os desafios e a categoria se encontra na expectativa de sua reestruturação, em um processo de negociação arrastado e inédito até então.
A resposta é a determinação da categoria em conferir à APF uma estrutura comprometida com a perenidade da capacidade do Estado em conduzir o desenvolvimento da infraestrutura de base. Assim, mesmo diante dos impasses do Governo com o processo geral de negociação com o funcionalismo e das apreensões advindas, a ANEInfra persevera em seu projeto original de representar a categoria de infraestrutura, não apenas junto ao Governo, o chefe, mas principalmente perante a sociedade, o patrão.
A ANEInfra segue evoluindo, e no próximo dia 17 de dezembro, em assembleia geral já convocada, a categoria de infraestrutura estará fundando a ANEInfra Sindical.
A ANEInfra foi fundada pela adversidade e, impulsionada por ela, a categoria acumula energia para os saltos seguintes, mas sempre sem abrir mão de sua missão de entregar à sociedade o melhor resultado de seu trabalho.
Ao completar sete anos a entidade que congrega a categoria de infraestrutura iniciará seu primeiro ano como ANEInfra Sindical. Trabalhando no Estado, prestando serviço para a cidadania.