NOTA À IMPRENSA

A ANEInfra – Associação Nacional dos Analistas e Especialistas em Infraestrutura vem a público manifestar seu repúdio pela declaração da Senhora Secretária de Gestão Pública do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Ana Lúcia Amorim de Brito.

Em reportagem a “O Globo”, no último dia 11, “Ana Lúcia conta que um servidor aprovado recentemente no concurso de analista de infraestrutura solicitou ser alocado em um ministério onde o ritmo de trabalho fosse menor, pois alegou que havia estudado muito para o concurso e estava cansado: — Uma pessoa falou isso — diz a secretária.”

Vimos a público registrar que nossa categoria é composta por servidores altamente qualificados que atuam na área de infraestrutura, com atribuições voltadas às atividades especializadas de planejamento, coordenação, fiscalização, assistência técnica e execução de projetos e obras de infraestrutura de grande porte.

Passa pela atuação de nossos analistas e especialistas as centenas de bilhões investidos no PAC – Programa de Aceleração de Crescimento, bem como elevadas cifras de outros programas de financiamento nas áreas de infraestrutura viária, hídrica, de saneamento, de energia, de produção mineral, de comunicações e de desenvolvimento regional e urbano.

Raríssimas vezes o Poder Executivo Federal aplicou prova oral para a seleção de seus servidores, como o fez para analistas e especialistas em infraestrutura. Além disso, embora atuemos em parceria com o governo, evitando desperdício de recursos públicos com obras sem funcionalidade, trabalhamos com vistas ao Estado Brasileiro, sempre no sentido de perpetuar o crescimento e desenvolvimento da nação.

Este é o principal fator que nos diferencia dos ocupantes de cargos essencialmente políticos dentro dos órgãos setoriais, cuja visão de resultado, muitas vezes, se dá num horizonte de curto prazo, visando, principalmente as realizações específicas do respectivo governo.

A categoria de infraestrutura representa inovação na Administração Pública Federal como carreira transversal, assim como a carreira de Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental – EPPGG, cujo edital de concurso era o objeto precípuo da entrevista. A Secretaria da qual a Senhora Ana Lúcia é a autoridade máxima é, exatamente, a que tem previsão normativa para a gestão de ambas, o que torna sua declaração ainda mais lastimável.

Assim, a ANEInfra registra publicamente sua indignação, manifesta sua solidariedade à carreira de EPPGG, no sentido de sermos, todos, como sempre fomos, selecionados por critérios meritocráticos, ao tempo em que lamentamos que, como a própria Secretária comprovou, a experiência em cargos importantes dentro da Administração Pública Federal não traga consigo, necessariamente, a garantia de bom senso na atuação.

Associação Nacional de Analistas e Especialistas em Infraestrutura – ANEInfra